Scientia Plena https://www.scientiaplena.org.br/sp <p class="MsoNormal">Scientia Plena é uma publicação científica mensal, multidisciplinar, editada pela Associação Sergipana de Ciência, dedicada a ajudar e incentivar o desenvolvimento da ciência.</p> <p class="MsoNormal">Scientia Plena visa atingir um público amplo, composto de toda a comunidade científica envolvida na pesquisa e no desenvolvimento da ciência.</p> <p class="MsoNormal">Scientia Plena publica artigos de conteúdo original e inédito com resultados significativos em todas as áreas da ciência. Os artigos podem ser escritos em Português, Inglês ou Espanhol e devem ser enviadas para o Editor por meio de submissão eletrônica.</p> <p class="MsoNormal">Scientia Plena está indexada nas seguintes bases de dados e diretórios: DOAJ, Latindex, CAS, InfoBase Index, Revistas no SEER-IBICT.</p> <p class="MsoNormal">Título abreviado: Sci. Plena </p> Associação Sergipana de Ciência pt-BR Scientia Plena 1808-2793 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <ol> <li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</li> </ol> Avaliação do óxido de grafeno como atenuador do efeito tóxico do alumínio na germinação de sementes de trevo persa https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7056 <p>O objetivo deste estudo foi analisar o efeito do óxido de grafeno na germinação de sementes de trevo Persa e seu possível efeito atenuante no estresse por alumínio. As sementes foram semeadas em papel substrato e testadas em concentrações variadas de óxido de grafeno, alumínio e/ou óxido de grafeno + alumínio concomitantemente. Em seguida, foram armazenados em câmara de germinação à temperatura de 20 °C e fotoperíodo de 12 h. Os nanomateriais foram caracterizados por espectroscopia Raman, difração de raios X, espectroscopia por transformada de Fourier e microscopia eletrônica de varredura. Foram avaliados a germinação das sementes e os parâmetros de crescimento das plântulas) (comprimento e massa seca). O nanomaterial não causou efeitos adversos na germinação de sementes de trevo Persa. Entretanto, a adição de alumínio acima de 125 mg L<sup>-1</sup> foi considerada prejudicial, resultando em diminuição da germinação, do comprimento total e radicular e da massa seca das plântulas. No entanto, a exposição simultânea ao óxido de grafeno/alumínio não afetou o crescimento inicial nem os parâmetros de germinação das sementes.</p> Raquel Stefanello Wagner Jesus da Silva Garcia Theodoro da Rosa Salles Cristiano Rodrigo Bohn Rhoden Copyright (c) 2024 Raquel Stefanello, Wagner Jesus da Silva Garcia, Theodoro da Rosa Salles, Cristiano Rodrigo Bohn Rhoden http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.040201 Fontes de fertilizantes nas características fitotécnicas, estresse oxidativo e produção de timol em Thymus vulgaris L. https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7143 <p>O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de diferentes fontes de fertilizantes nas características fitotécnicas, estresse oxidativo e produção de timol de <em>Thymus vulgaris</em>. O experimento foi realizado em vasos de 3 dm³ contendo solo:areia (2:1) + tratamento (sem adubo, adubo orgânico ou adubo químico). A adubação orgânica foi de 8 kg m<sup>-2</sup> de uma mistura igual de esterco bovino, caprino e de codorna. As variáveis ​​avaliadas foram massa seca total de folha, caule, raiz, conteúdo de clorofila e carotenoides; nutrientes foliares; polifenóis totais; capacidade antioxidante total; capacidade de absorção de radicais de oxigênio; atividade de eliminação de radicais livres DPPH; teor de óleo essencial; e produção, conteúdo e rendimento de timol. A adubação orgânica aumentou significativamente as variáveis ​​avaliadas e reduziu os indicadores de estresse oxidativo. Resultou em ganhos de massa seca das plantas e acúmulo de nutrientes nas folhas secas de <em>T. vulgaris</em>. Para os parâmetros quantitativos do óleo essencial e timol, a adubação orgânica foi significativamente maior que os demais tratamentos, principalmente para teor de timol e produtividade. Plantas de <em>T. vulgaris</em> adubadas com fertilizante orgânico maximizam sua produção vegetal e seu rendimento de compostos de interesse, como o timol, possivelmente porque essas saídas indicam um equilíbrio entre a produção vegetativa melhorada e a eliminação de espécies reativas de oxigênio.</p> Alan da Cunha Honorato João Francisco Amaral Maciel Rafael Marlon Alves de Assis Alexandre Alves de Carvalho Gabriel Akira Nohara José Eduardo Brasil Pereira Pinto Suzan Kelly Vilela Bertolucci Copyright (c) 2024 Alan da Cunha Honorato, João Francisco Amaral Maciel, Rafael Marlon Alves de Assis, Alexandre Alves de Carvalho, Gabriel Akira Nohara, José Eduardo Brasil Pereira Pinto, Suzan Kelly Vilela Bertolucci http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.040202 Uma nova solução oral de cloridrato de ciproeptadina: Estudo de estabilidade acelerada e efeitos sobre o metabolismo da glicose e lipídios em ratos Wistar https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7357 <p>O presente estudo desenvolveu uma solução oral magistral (COS) contendo cloridrato de ciproeptadina (CY) em associação com adjuvantes farmacêuticos. O objetivo principal é demonstrar a estabilidade dessa solução e os efeitos <em>in vivo</em> nos parâmetros séricos e hepáticos do metabolismo da glicose e lipídios. Após 180 dias, a COS apresentou estabilidade físico-química (pH e densidade relativa) quando submetida a diferentes temperaturas (24 e 40 °C), mas a estabilidade química, apresentada pelo teor de CY (%) na formulação, mostrou que a taxa de degradação de CY aumentou 20x quando submetida a condição de estresse (40 °C). Ratos Wistar machos foram tratados com IOS 1.5 (solução oral industrial 1,5 mg.kg<sup>-1</sup>) ou salina por 21 dias e IOS 5.0 ou COS (5 mg.kg<sup>-1</sup>) ou placebo por gavagem por 23 dias. O tratamento com IOS 1.5 aumentou o colesterol hepático em 30 % sem alterar o fígado e o peso corporal neste grupo. Em contraste, o tratamento com IOS e COS (5 mg.kg<sup>-1</sup>) aumentou o peso corporal final em 8 % em comparação ao placebo. Curiosamente, o grupo COS apresentou aumento do glicogênio hepático acompanhado de redução da ingestão alimentar em comparação à IOS. Entretanto, COS e IOS 5.0 não induziram alterações no peso do tecido adiposo, peso do fígado, bem como nos níveis séricos de glicose, triacilglicerol e colesterol. Este trabalho nos fornece dados que comprovam a estabilidade da solução magistral em temperatura ambiente, além de induzir o aumento do peso corporal final de ratos sem alteração no metabolismo de glicose e lipídios.</p> Karine Ferreira da Costa Letícia Isabeli Silveira Cunha Lucas Aparecido Gordilho Gabriel Salerno Costa Renê Oliveira do Couto Valéria Ernestânia Chaves Ana Copyright (c) 2024 Karine Ferreira da Costa, Letícia Isabeli Silveira Cunha, Lucas Aparecido Gordilho, Gabriel Salerno Costa, Renê Oliveira do Couto, Valéria Ernestânia Chaves, Ana http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.044901 Biologia de nidificação de Euglossa cordata (Apidae: Euglossini) em áreas abertas no Extremo Sul Baiano https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7434 <p>The genus <em>Euglossa</em> comprises a group of approximately 110 cataloged bee species found throughout the Neotropical region. Among these species, <em>Euglossa cordata</em> (Linnaeus, 1758) has a wide distribution in different environments. This research aimed to analyze aspects of the nesting biology of <em>E. cordata</em> in open areas near Atlantic Forest fragments in the Extreme South of Bahia, Brazil. Collections were carried out using PET bottle traps, a methodology commonly employed for capturing Meliponini but adapted for the first time in this study, presenting a low cost and good applicability for studies on <em>Euglossa</em> bees. Ten traps were randomly distributed in open environments at the Federal Institute of Bahia. Three nests of <em>E. cordata</em> were found, with a total of thirteen brood cells and six female emergences in traps 2 and 3. In all nests, the cells were constructed in a circular manner and arranged close to each other. The cells were built with resin and had a scalene trapezoid shape with variations in diameter and length. Studies on bees of the Euglossini tribe, popularly known as orchid bees, often focus on males collected using odor baits. Conversely, studies on females and nesting biology are scarce. Thus, methodologies that facilitate the capture of females and Euglossini nests are extremely relevant for enhancing our understanding of the group.</p> Flávio Silva de Souza Filho Matheus Costa Prates Welber da Costa Pina Copyright (c) 2024 Flávio Silva de Souza Filho, Matheus Costa Prates, Welber da Costa Pina http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.048001 Doses de ácido húmico interferem na germinação de sementes e estabelecimento de plântulas de soja? https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7567 <p>Objetivou-se avaliar a influência de doses de ácido húmico na germinação de sementes e crescimento inicial de plântulas de soja. No Laboratório de Análises de Sementes da Universidade Federal de Uberlândia, foram avaliadas quatro doses de ácido húmico (0, 5, 10 e 15 L ha<sup>-1</sup>) e seis cultivares de soja (BRS FAVORITA RR, BRS VALIOSA RR, BRSGO 7560, TMG 801, UFUS 6901 e UFUS 7101) em esquema fatorial 4 × 6. Adotou-se o delineamento de blocos casualizados com cinco repetições, sendo cada parcela composta por um rolo de papel germitest com 50 sementes. Os rolos foram mantidos em germinador, a 25 ºC e 12 horas de luz por seis dias. Após a avaliação, verificou-se que as cultivares de soja afetam de maneira significativa todas as características avaliadas na germinação e crescimento inicial das plântulas, exceto a porcentagem de plântulas danificadas e sementes duras. Independente da cultivar, 5 L ha<sup>-1</sup> de ácido húmico, proporciona maior porcentagem de germinação e de plântulas de alto vigor; menor porcentagem total de plântulas anormais e classificadas como deformadas; assim como maior comprimento e acúmulo de matéria fresca de parte aérea e total das plântulas. No entanto, para porcentagem de plântulas deterioradas, comprimento e matéria fresca de raiz, acúmulo de matéria seca e relação raiz/parte aérea, as cultivares de soja apresentam comportamento distinto em função das doses de ácido húmico. Portanto, considerar a ação do ácido húmico no desempenho do material genético permite maximizar a eficiência dos recursos e assegurar resultados superiores no cultivo da soja.</p> Danyela Cristina Marques Pires Mara Lúcia Martins Magela Adílio de Sá Júnior Regina Maria Quintão Lana Ana Paula Oliveira Nogueira Roberta Camargos de Oliveira Copyright (c) 2024 Danyela Cristina Marques Pires, Mara Lúcia Martins Magela , Adílio de Sá Júnior, Regina Maria Quintão Lana, Ana Paula Oliveira Nogueira, Roberta Camargos de Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.040203 Adição de carbonato de cálcio na síntese de espumas flexíveis de poliuretano https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7646 <p>Dentro de toda a sua variabilidade, as espumas constituem o maior segmento da indústria de poliuretanos. O poliuretano é composto principalmente pelos grupos funcionais isocianato (-N=C=O) e poliol (-OH), apresentando características diferenciadas pela adição de cargas. Este polímero possui uma ampla gama de aplicações como adesivos, revestimentos, vernizes, elastômeros e espumas. Visando melhorias em suas propriedades térmicas, investigou-se a adição de carbonato de cálcio nas proporções de 12,5%, 25% e 37,5% (m/m). Essa carga é muito utilizada para alterar as propriedades de polímeros, pois é facilmente encontrada na natureza e possui baixo custo. Para a síntese de amostras de poliuretano, o isocianato e o poliol foram reagidos usando o processo "one shot". Os resultados obtidos demonstraram a mudança nas temperaturas de transição vítrea (T<sub>g</sub>) do material para valores mais elevados, o que indica uma diminuição na mobilidade das cadeias poliméricas. Além disso, foi observado um aumento na temperatura de decomposição via calorimetria diferencial de varredura (DSC). Com a análise de espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), foi possível analisar que o material foi sintetizado com sucesso pelo aparecimento das bandas características das espumas de PU. Além disso, com a adição de carbonato de cálcio, foi possível identificar a presença de duas fases, que indicam que o material sofreu alterações em sua cristalinidade, identificadas por meio de análise de difração de raios X (DRX). Por fim, foi possível observar através da análise de microscopia óptica (MO) que a adição de carga alterou significativamente a morfologia das espumas.</p> David Rodrigues Gomes Lucas Repecka Alves Giovanni Miraveti Carriello Henrique Solowej Medeiros Lopes Guilherme Manassés Pegoraro Marcus Felippe de Jesus Barros Fernanda Pereira Camargo Carlos Eduardo Corrêa Daniel Komatsu Copyright (c) 2024 David Rodrigues Gomes, Lucas Repecka Alves, Giovanni Miraveti Carriello, Henrique Solowej Medeiros Lopes, Guilherme Manassés Pegoraro, Marcus Felippe de Jesus Barros, Fernanda Pereira Camargo, Carlos Eduardo Corrêa, Daniel Komatsu http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.043401 Efeito do lodo de esgoto caleado e não caleado no pH de solos de diferentes texturas https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7702 <p>O lodo de esgoto é um resíduo que pode ser utilizado na agricultura devido à presença de matéria orgânica e nutrientes. Entretanto, deve ser estabilizado e higienizado, sendo a aplicação de cal virgem uma possibilidade de tratamento através da elevação do pH. Assim, o objetivo do trabalho é avaliar o pH em solos de diferentes texturas submetidos a doses de lodo de esgoto caleado e não caleado. O experimento foi composto por um fatorial triplo 2 x 3 x 6, no qual foi utilizado dois tratamentos (não caleado e caleado), três texturas de solo (arenosa, média e argilosa) e seis doses de lodo de esgoto (0, 5, 10, 20, 40 e 80 t ha<sup>-1</sup>), com três repetições. A dose necessária a dose de cal virgem para elevar o pH em 12 foi de 44 kg m<sup>-3</sup> e 72 kg m<sup>-3</sup>, no período de 2 e 72 horas, respectivamente. O lodo de esgoto não caleado causou redução acentuada do pH do solo aos 21 dias, resultado do processo de decomposição e nitrificação, e a aplicação com de 80 t ha<sup>-1</sup> reduz o pH em 4,8%, 9,9% e 9,6%, para a textura arenosa, média e argilosa. O lodo caleado apresentou alta reatividade no solo aos sete dias, com redução da reação de alcanilização ao longo do tempo. No geral, para solo arenoso, o valor de pH ficou em torno de 7,6, sendo que para os solos médio e argiloso o valor de pH ficou em 7,4, na dose 80 t ha<sup>-1</sup>.</p> Karen Andreon Viçosi Giovanni de Oliveira Garcia Copyright (c) 2024 Karen Andreon Viçosi, Giovanni de Oliveira Garcia http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.040204 Produção de mudas de alta qualidade de Handroanthus spongiosus (Bignoniaceae), nativa de floresta tropical sazonalmente seca https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7711 <p>Estudos com a utilização de substratos alternativos têm possibilitado a produção de mudas de diversas espécies com alta qualidade e baixo custo. O objetivo deste trabalho foi avaliar as melhores condições de cultivo para produção de mudas de <em>Handroanthus spongiosus</em>. As sementes foram coletadas em cinco populações diferentes no estado de Pernambuco, Brasil, e cultivadas em seis substratos: solo, areia, solo + vermiculita, solo + esterco caprino, solo + vermiculita + esterco caprino e solo + esterco caprino + 30% de biocarvão. Foram avaliados a emergência, comprimento da parte aérea e da raiz, diâmetro da base do caule, massa seca da parte aérea e da raiz e índice de qualidade de Dickson. Os substratos com adição de matéria orgânica favoreceram o aumento do comprimento da parte aérea, do diâmetro do caule e da massa seca. A incorporação de esterco caprino e biocarvão nos substratos favoreceu a qualidade das mudas de <em>H. spongiosus</em>.</p> Jailton de Jesus Silva Claudineia Regina Pelacani Raquel Araujo Gomes Jamille Cardeal da Silva Diana Signor Bárbara França Dantas Copyright (c) 2024 Jailton de Jesus Silva, Claudineia Regina Pelacani, Raquel Araujo Gomes, Jamille Cardeal da Silva, Diana Signor, Bárbara França Dantas http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.040205 Potencial agronômico de nove cultivares de morangueiro por dois ciclos consecutivos em estufa https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7713 <p>A falta de informações sobre o cultivo do morangueiro por mais de um ciclo produtivo acaba gerando aos produtores elevados custos para a aquisição de mudas para reestabelecer suas lavouras. Por isso, visando alternativas técnicas para uma transição para cultivos mais sustentáveis, o objetivo do trabalho foi investigar se cultivares de morangueiro conduzidas em ambiente protegido por duas safras diferem quanto ao potencial produtivo e a qualidade química de frutos. Os tratamentos foram nove cultivares de morangueiro (‘Albion’, ‘Aromas’, ‘Camarosa’, ‘Camino Real’, ‘Fronteras’, ‘Merced’, ‘Monterey’, ‘Portola’ e ‘San Andreas’) e dois ciclos de produção (2019/2020 e 2020/2021), dispostos em delineamento de blocos casualizados com seis repetições. Os resultados mostraram que na segunda safra as cultivares ‘Aromas’, ‘Camarosa’, ‘Camino Real’, ‘Merced’ e ‘Monterey’ destacaram-se quanto ao maior número de frutos produzidos. ‘Fronteras’ e ‘Merced’ tiveram a maior produção total de morangos na segunda safra. ‘Merced’ e ‘Monterey’ produziram os maiores frutos na primeira safra e ‘Fronteras’ produziu morangos com a maior massa fresca média de frutos na segunda safra. ‘Albion’ e ‘Camarosa’ destacaram-se pelo maior teor de açúcar nos frutos produzidos. Os morangos menos ácidos e mais saborosos foram produzidos na primeira safra. Em conclusão, cultivares de morangueiro conduzidas em estufa por duas safras diferem quanto ao potencial produtivo e a qualidade química de frutos. Este estudo indica que as nove cultivares podem ser conduzidas por dois ciclos consecutivos sem comprometer a produção de bagas.</p> Alana Grando Dornelles Thomas dos Santos Trentin Claudia Petry José Luís Trevizan Chiomento Copyright (c) 2024 Alana Grando Dornelles, Thomas dos Santos Trentin, Claudia Petry, José Luís Trevizan Chiomento http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.040206 Valorização inovadora do bagaço de malte: transformando subproduto da cerveja em pão integral rico em nutrientes https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/7716 <p>Este estudo teve como objetivo valorizar o bagaço de malte, subproduto do processamento de cerveja artesanal tipo Pilsen, por meio da obtenção de farinha de bagaço de malte e utilização na formulação de pães integrais (tipo pão). As formulações experimentais de pães foram criadas em uma unidade industrial, substituindo parcialmente a farinha de trigo integral por concentrações variadas de farinha de bagaço de malte (10, 20, 30 e 40%). Estas formulações foram então caracterizadas tanto nutricionalmente quanto às suas propriedades tecnológicas. Os resultados revelaram que a incorporação da farinha de bagaço de malte (granulometria variando de 0,15 a 1,50 mm) em pães integrais, com substituição parcial de até 20% da farinha de trigo integral, resultou em produtos que apresentaram excelente aceitação sensorial e possuíam características e qualidades sensoriais semelhantes às do pão feito inteiramente de farinha de trigo. Além disso, foi observado um aumento nutricional significativo, particularmente em termos de conteúdo de proteínas e potássio. Conclui-se que a utilização do bagaço de malte no preparo da farinha de trigo integral apresenta uma alternativa ambientalmente sustentável e que reduz o desperdício. Também permite o desenvolvimento de novos produtos, como o pão, devido aos benefícios nutricionais do bagaço do malte. Assim, é imprescindível explorar ainda mais o bagaço de malte, dados seus atributos nutricionais e sua abundante disponibilidade na indústria cervejeira.</p> Carine Paula Dorigon Rosicler Colet Ilizandra Aparecida Fernandes Giovana Feltes Elisandra Rigo Juliana Steffens Clarice Steffens Eunice Valduga Copyright (c) 2024 Carine Paula Dorigon, Rosicler Colet, Ilizandra Aparecida Fernandes, Giovana Feltes, Elisandra Rigo, Juliana Steffens, Clarice Steffens, Eunice Valduga http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-18 2024-05-18 20 4 10.14808/sci.plena.2024.041501