Características nutricionais de doces em pasta de Araticum (Annona crassiflora Mart.)

Autores

  • Bianca Barros Dias Universidade Federal do Tocantins/Laboratório de Cinética e Modelagem de Processos
  • Maria Olivia dos Santos Oliveira Universidade Federal do Tocantins/Laboratório de Cinética e Modelagem de Processos
  • Rômulo Alves Morais Universidade Federal do Tocantins/Laboratório de Cinética e Modelagem de Processos
  • Bárbara Catarina Bastos Freitas Universidade Federal do Tocantins/Laboratório de Cinética e Modelagem de Processos
  • Glêndara Aparecida de Souza Martins Universidade Federal do Tocantins/Laboratório de Cinética e Modelagem de Processos

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2021.081502

Palavras-chave:

Araticum, composição nutricional, Rotulagem Ambiental

Resumo

Fruto nativo do Cerrado, o Araticum (Annona crassiflora Mart.) é muito consumido in natura. Devido a sua sazonalidade a aplicação de tecnologias de processamento são alternativas que garantem o aumento de sua vida útil, e consequentemente agrega valor econômico, entre elas, uma das formas mais aceitas pelos consumidores, é a transformação dos frutos em doces. Diante disso, o conhecimento da composição nutricional, bem como o desenvolvimento da tabela de composição nutricional de acordo com a legislação é de grande importância. Portanto, o presente trabalho tem como objetivo aproveitar a polpa do Araticum na forma de doce em pasta com substituições da pectina usada comercialmente por albedo de maracujá, e ainda avaliar a qualidade nutricional de formulações, com foco na inserção do fruto no mercado consumidor. Para o processamento, foi utilizado um delineamento experimental 2³ com 11 ensaios e 3 variáveis independentes (ácido cítrico, polpa/açúcar e albedo de maracujá). Foi procedida a informação nutricional das formulações de acordo com as legislações vigentes e dispostas em tabelas de composição nutricional. As formulações apresentaram baixo valor calórico, valores estes, menores do que aqueles encontrados para doces comerciais, o que amplia as possibilidades de consumo do produto, como na alimentação escolar.

Downloads

Publicado

2021-09-09

Edição

Seção

III Congresso Tocantinense de Ciência e Tecnologia de Alimentos