Avaliação das alterações hidrológicas da bacia do rio São Francisco causadas pela construção da usina hidrelétrica de Sobradinho

Ikaro Daniel de Carvalho Barreto, Maíra de Oliveira SANTOS, Izabelly Marya Lucena da SILVA, Tatijana STOSIC

Resumo


Um ecossistema equilibrado é a base da vida e desenvolvimento de milhares de espécies de seres vivos. Os rios fazem um papel muito importante nesse equilíbrio. Um dos mais importantes rios do Brasil é o Rio São Francisco que contém, ao longo do seu percurso, cinco usinas hidrelétricas. As hidrelétricas são uma das fontes de energia mais baratas entre as disponíveis, por isso é a mais usada, porém a construção de hidrelétricas causa vários impactos ao meio ambiente. Para avaliar este impacto, fornecendo base para uma avaliação mais criteriosa na escolha do método de obtenção de energia e um melhor planejamento nas futuras construções de hidrelétricas, foi usado o método de Indicadores de Alteração Hidrológica (IAH) para estudar a variabilidade das características hidrológicas da vazão observada diariamente abaixo da represa de Sobradinho. Foram retirados da análise anos com chuva muito abaixo ou muito acima do normal. A partir desses dados, o método IAH gera 33 indicadores hidrológicos de relevância ecológica. Todos os indicadores de alteração hidrológica foram avaliados e os resultados mostraram que, quando comparamos o período anterior à construção da barragem com o período posterior, houve alteração hidrológica em todos os indicadores hidrológicos fornecidos pelo método de IAH.


Palavras-chave


Indicadores de Alteração Hidrológica (IHA), Sobradinho, Regulação do Rio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2017.110202

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Ikaro Daniel de Carvalho Barreto, Maíra de Oliveira SANTOS, Izabelly Marya Lucena da SILVA, Tatijana STOSIC

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.