Desempenho produtivo de genótipos de alface crespa no Submédio do Vale do São Francisco

Geraldo Milanez de Resende, Jony Eishi Yuri, Nivaldo Duarte Costa, Adriano Gomes Silva, José Hortêncio Mota

Resumo


A alface crespa é entre os diversos tipos cultivados no país a mais importante. O presente trabalho objetivou avaliar o desempenho produtivo de genótipos de alface crespa no Submédio do Vale do São Francisco. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com quatro repetições. Avaliaram-se seis genótipos de alface (Amanda, Bruna, Vanda, Isabela, CAP/CR/77-1 e 10Y3104-1) em duas épocas de plantio (inverno e verão). Os genótipos Vanda (400 g planta-1 e 49,3 t ha-1) e CAP/CR/77-1 (383 g planta-1 e 48,0 t ha-1) obtiveram os melhores desempenhos para massa fresca e produtividade na época de inverno. Para o cultivo na época de verão sobressaíram os genótipos 10Y3104-1 (281 g planta-1 e 34,6 t ha-1), CAP/CR/77-1 (280 g planta-1 e 34,5 t ha-1) e Vanda (272 g planta-1 e 33,6 t ha-1). O número de folhas variou entre 26,3 e 30,1 folhas planta-1 para genótipos, sendo o maior valor constatado no inverno (27,4 folhas planta-1) comparativamente ao verão (25,8 folhas planta-1). Para comprimento do caule os genótipos apresentaram variação entre 7,2 cm e 9,6 cm, com maiores valores no verão (9,0 cm) em relação ao inverno (7,3 cm). Apenas os genótipos Bruna e Amanda apresentaram por ocasião da colheita incidência de pendoamento precoce, em condições de temperaturas mais elevadas (verão).


Palavras-chave


Lactuca sativa, rendimento, competição de cultivares, adaptação, época de plantio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2017.110201

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Geraldo Milanez de Resende, Jony Eishi Yuri, Nivaldo Duarte Costa, Adriano Gomes Silva, José Hortêncio Mota

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.