Influência da radiação gama na ação moluscicida de extratos de cajueiro em Biomphalaria glabrata

G. H. F. Santos, E. B. Silva, A. M. M. A. Melo, E. L. C. Amorim, T. J. S. Peixoto Sobrinho, C. S. A. Lima

Resumo


Materiais vegetais ricos em compostos fenólicos, tais como o cajueiro (Anacardium occidentale Linn.), têm sido utilizados como alternativas aos pesticidas sintéticos, em programas de controle de Biomphalaria glabrata, hospedeiro intermediário de Schistosoma mansoni. Estudos mostram que a radiação ionizante pode influenciar no conteúdo de compostos fenólicos e, portanto, suas ações biológicas. O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência da radiação gama de 60Co na composição de polifenóis de extratos hidroalcóolicos de cascas e folhas de A. occidentale, além de avaliar a ação tóxica destes extratos contra embriões e adultos de B. glabrata. Os extratos foram irradiados a 10 kGy, sendo mantidos os controles de 0 kGy e controles positivo (CaCO3) e negativo (H2O). Quantificou-se polifenóis totais pelo método de Folin-Ciocalteau e taninos por precipitação da caseína. Utilizaram-se extratos na concentração de 100 mg/L. Os resultados mostraram que a radiação provocou o alterações, para folhas, dos percentuais de polifenóis e taninos, além do percentual de letalidade contra embriões e adultos de Biomphalaria glabrata, sendo estes percentuais de: 13  5 (0 kGy) e 27  2,5 (10 kGy) e, 36,67 ± 5,77 (0 kGy) e 56,67 ± 5,77 (10 kGy), respectivamente. A radiação gama provocou alterações importantes nos teores dos polifenóis para os extratos de folhas de Anacardium ocidentale Linn., traduzidas pelo aumento da toxicidade deste extrato frente aos embriões e adultos de Biomphalaria glabrata. Isto indica que a radiação gama pode ser utilizada como agente potencializador da toxicidade de extratos vegetais no uso alternativo destes materiais como moluscicidas.

Palavras-chave


radiação gama, Biomphalaria glabrata, moluscicidas vegetais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.