Potencial biotécnico das espécies Aroeira Schinus terebinthifolius Raddi e Sabiá Mimosa caesalpiniaefolia Benth para recuperação de taludes marginais no baixo São Francisco.

Autores

  • I. D. M. Santana Universidade Federal de Sergipe
  • F. S. R. Holanda Universidade Federal de Sergipe
  • R. N. A. Filho Universidade Federal de Sergipe
  • A. H. B. Menezes Universidade Federal de Sergipe
  • J. F. V. Cruz Universidade Federal de Sergipe
  • T. F. S. N. Soares Universidade Federal de Sergipe
  • A. F. R. Melo Universidade Federal de Sergipe
  • P. G. O. Neto Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

bioengenharia de solos, erosão, estaquia

Resumo

Uma das técnicas utilizadas na bioengenharia de solos para a estabilização de taludes é a estaquia, que é a propagação vegetativa, em que se utiliza estacas vivas para obtenção de uma planta. Este  trabalho teve como objetivo avaliar o potencial biotécnico das estacas vivas das espécies aroeira e sabiá e a influência do diâmetro de corte das estacas na sua sobrevivência. Percebe-se que os níveis de adubação não exerceram papel fundamental para o seu enraizamento já a sua posição no talude atribui vantagens às estacas plantadas em locais com melhores teores de umidade e luminosidade.

Downloads

Publicado

2013-06-10

Como Citar

Santana, I. D. M., Holanda, F. S. R., A. Filho, R. N., Menezes, A. H. B., Cruz, J. F. V., Soares, T. F. S. N., … O. Neto, P. G. (2013). Potencial biotécnico das espécies Aroeira Schinus terebinthifolius Raddi e Sabiá Mimosa caesalpiniaefolia Benth para recuperação de taludes marginais no baixo São Francisco. Scientia Plena, 8(4(b). Recuperado de https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/1412

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)